“Só depende dele”, afirma Diniz sobre permanência de Calazans

A vitória do Fluminense contra o Boavista nesta quinta deixou o tricolor a um passo da classificação. Líder do grupo com 10 pontos, o Flu está quatro a frente do segundo e cinco à frente do terceiro. Entretanto, ainda não é o suficiente para assegurar a classificação, mas dá tranquilidade para Diniz trabalhar. Todavia, se tudo der certo para o tricolor, a equipe pode conquistar a vaga já na próxima rodada.

Com uma apresentação segura, o Fluzão não tomou consciência e passou por cima do Boavista. A vitória por 3 a 0 fora de casa contou com uma boa atuação de Luciano. Entretanto, o que se viu foi um Ganso mais discreto, sobretudo se comparado às partidas anteriores. O treinador agora vai avaliar o grupo para ver se vai com o time misto no clássico contra o Botafogo, no domingo.

“A gente vai resolver isso (usar reservas) só no sábado, quando os jogadores vão chegar. Vamos ver como vamos montar a equipe para o clássico pensando também no jogo lá do Chile”, disse.

Posteriormente, questionado sobre a ausência de Digão nas próximas semanas e, principalmente, na Sul-Americana, o treinador se mostrou focado na partida pelo Carioca.

“Vou pensar primeiro no Botafogo. Depois, vou ver como montar o time contra o Antafogasta. A notícia triste foi a lesão do Digão, a nossa grande liderança. Tem o apoio de todo mundo, tem ascensão positiva sobre os jogadores, o que me ajudou muito desde a minha chegada. Torço pela recuperação, vai aproveitar um pouco a família. Quando ele voltar, vamos acolher ele muito bem quando ele voltar”.

Treinador não garantiu a permanência de Calazans. (Foto: Lucas Merçon | Fluminense)

Calazans fica?

Assim, apesar da vitória, o interesse do São Paulo no jovem da base Marquinhos Calazans também foi pauta da conversa com o treinador. Entretanto, Diniz não soube assegurar a permanência do atleta e afirmou que “só depende dele” permanecer no tricolor carioca.

“Eu sei do interesse do São Paulo, conversei com ele. A minha intenção é que ele fique, mas não depende só de mim. Depende de outras coisas, de valores e da vontade dele. Ele estava sendo importante, foi muito utilizado por mim. Estava muito no começo quando falamos, ele não falou nada. Eu não sei em que pé está a negociação e também não sei o que o Marquinhos pensa”.

Outras perguntas para Diniz

Ausência da base

“O Fluminense não é uma divisão entre jogadores da base e de jogadores que vieram de outros clubes. Essa divisão não existe, não tem o menor sentido. Se tiver de os 11 da base, como foi quase na estreia do Carioca, quando usamos muito, a gente vai usar. Sendo assim, eu boto no campo quem eu acho que vai representar bem o time e está em melhor momento”.

Sul-Americana

“É um torneio extremamente importante. É a única competição continental que a gente disputa na temporada, então, vamos nos empenhar ao máximo para conseguir grande resultado lá no Chile”.

Novas contratações?

“Por ora, a gente não pensou nisso. É muito recente. Temos um elenco qualificado. Pela mobilidade da equipe, talvez a gente consiga colocar jogador de outra posição ali. Minha maior preocupação é pela ausência da liderança dele”.

Deixe uma resposta