O caso de amor entre Flamengo e Milan

O Milan é, seguramente, o clube mais “brasileiro” na Itália. Com um vasto histórico de ídolos vindo de terras tupiniquins, a equipe rossonera tem ligação quase umbilical com o Brasil. De Eliseu Gabardo a Kaká, de Mazzola a Dida, astros do país costumam ter sucesso no Milan. Mas, tão intensa quanto, é a ligação com o Flamengo. Irmãos de cores, o Rossonero e o Rubro-Negro dividem mais que a semelhança de uniforme, mas alguns jogadores importantes da história recente de ambos.

O último ex-Flamengo a assinar pelo Milan foi Lucas Paquetá. Contratado para ser o dono do meio de campo do Milan, o Camisa 39 começou bem. Afinal, já tem um gol e duas assistências em 12 jogos. Bastante elogiado pela imprensa italiana e pelo próprio técnico, Gennaro Gattuso, o brasileiro não foi o único a fazer a conexão Rio de Janeiro-Milão. Antes dele, outros cinco escreveram o seu nome na história dos dois rubro-negros.

André Cruz e Leonardo chegaram juntos, mas tiveram destinos diferentes no Milan

André Cruz em ação pelo Milan em 1997
Ídolo do Napoli, André Cruz não teve o mesmo espaço no Milan (Foto: Reprodução | Milan)

O primeiro ex-Flamengo a chegar no Milan foi o zagueiro André Cruz. Mesmo que tenha passado por seis meses pelo Rubro-Negro, o defensor foi titular na conquista da Copa do Brasil de 1990. O bom rendimento chamou a atenção do Standard Liége-BEL, que tratou de contratar o brasileiro.

Logo depois de boas passagens pelo Standard Liége-BEL e pelo Napoli-ITA, André Cruz chegou ao Milan, em 97-98, para brigar por posição com Franco Baresi, Paolo Maldini e Marcel Desailly. Mas, por conta da falta de espaço, acabou voltando para o futebol belga, na temporada seguinte.

Leonardo comemora gol sobre o Bolonga, em vitória do Milan pelo Campeonato Italiano de 1998/1999
Leonardo foi campeão italiano na segunda temporada dele pelo Milan (Foto: Claudio Villa | Allsport)

Junto com André Cruz, chegou um outro ex-Flamengo. Formado nas categorias de base rubro-negras e campeão brasileiro em 1987, Leonardo se tornou um dos ídolos do Milan, no fim dos anos 90. Com 30 gols em 124 jogos e um título italiano, em 1998/1999, o ex-meia entrou para história do clube. Atualmente, Leonardo é diretor esportivo da equipe rossonera.

Serginho e Amoroso tiveram passagens relâmpago pelo Flamengo

Serginho em ação pelo Milan na temporada 2002/2003 do Campeonato Italiano
“Esquecido” no Brasil, Serginho é xodó no Milan (Foto: Reprodução | Milan)

Se Leonardo conseguiu repetir o sucesso do Flamengo no Milan, a passagem de Serginho pelo Rubro-Negro da Gávea é quase esquecível. Afinal, o lateral esquerdo nilopolitano fez apenas três jogos pelo Mais Querido, em 1994, e logo foi vendido para o Cruzeiro. Logo depois de uma passagem vitoriosa pelo São Paulo, o ex-defensor chegou em 1999 no Rossonero e se tornou um dos xodós da torcida milanesa. Com 280 jogos e 25 gols, Serginho se aposentou em Milão, em 2008.

Amoroso em ação pelo Milan, em jogo contra o Lecce, pelo Campeonato Italiano 2005/2006
Amoroso chegou com moral ao Milan, mas fez apenas um gol em cinco jogos (Foto: Reprodução | Milan)

Assim como Serginho, Amoroso também teve passagem relâmpago pelo Flamengo, em 1996. Entretanto, não conseguiu repetir o sucesso do ex-lateral esquerdo pelo Milan. Contratado logo depois do título mundial pelo São Paulo, o atacante fez apenas cinco jogos e um gol, em um ano de clube. Afinal, brigava por vaga com Shevchenko, Inzaghi, Vieri e Gilardino. Assim, acabou vendido ao Corinthians.

Ronaldinho fez caminho inverso

Ronaldinho em ação pelo Flamengo, em 2011
10 e faixa: Ronaldinho chegou com moral ao Flamengo, em 2011 (Foto: Reprodução | Flamengo)

Mas o relacionamento entre Flamengo e Milan não é feito só de partidas para a Itália. Em 2011, o Rubro-Negro recebeu um presentaço vindo da Bota: Ronaldinho Gaúcho. Logo no início do ano, o meia chegou para ser a referência técnica de um Flamengo disposto a ganhar tudo. Mesmo que tenha vencido apenas o Carioca e das polêmicas no Rio de Janeiro, o Camisa 10 deixou o seu nome na história recente do Mais Querido.

Deixe uma resposta