Volante cai nas graças de Diniz e afirma: “quero marcar território”

O volante recém contratado do Liverpool-ING pelo Fluminense tem mostrado o seu valor dentro de campo. Allan realizou a primeira partida como titular na equipe do técnico Fernando Diniz no domingo, contra a Cabofriense. Contudo, o jogador foi peça importante para a vitória por 2 a 1 e a garantia do primeiro lugar no grupo da Taça Rio.

Justamente por isso esse é um dos motivos pelo qual o jogador foi badalado na coletiva após o treinamento no CT Pedro Antonio. Sendo assim, o jogador falou muito sobre a vida na Europa, a admiração pelo ex-treinador Klopp, que o treinou na Inglaterra. Além disso, após quatro anos longe do Brasil, Allan disse que pretende marcar o território no país.

“Agora pretendo ficar um tempo aqui no Brasil. Até porque ninguém me conhece. Quero fazer meu nome aqui, marcar território. Pretendo ficar uns aninhos pra depois voltar mais maduro e seguro, pra não acontecer de ir e voltar”, disse o volante, afirmando que a passagem pelo Brasil é apenas temporária.

Desde que chegou ao clube, Allan já fez três partidas pelo Fluminense. Contudo, em duas entrou faltando poucos minutos para a partida acabar, entretanto, viu a realidade mudar na última partida da Taça Rio. Todavia, o volante conquistou a confiança do treinador Diniz e assumiu a titularidade. Para ele, o treinador tem um estilo mais moderno do que o que é visto aqui.

“Muito bacana o trabalho do Diniz. Pelo pouco que conheço do Brasil é um estilo de jogo diferente. É mais moderno. O futebol daqui precisa mais disso. Na Europa são muitos treinadores, muitas metodologias diferentes. Mas o Diniz segue o padrão de lá. Segue a mentalidade”, disse.

Jogador agradou técnico Fernando Diniz nas partidas em que atuou pelo Flu. (Foto: Lucas Merçon | Fluminense)

Assumiu o posto?

A afirmação do volante sobre o estilo de jogo do treinador Fernando Diniz pode ser um dos motivos por Allan ter tido facilidade e mostrado um bom desempenho dentro das quatro linhas. De qualquer forma, desde a chegada o jogador sabia que não seria fácil, mas tudo indica que ele está no caminho certo. Entretanto, de pouco em pouco, Allan vai deixando a concorrência pra trás e se firmando como volante tricolor.

“A concorrência é legal para nós jogadores e para a equipe também. Não deixa cair o nível. Se precisar de outro jogador tem algum à altura. E é legal para o jogador que não deixa cair o nível de concentração”.

Assim, pelas duas primeiras partidas do volante pelo Fluminense ninguém poderia prever a qualidade que Allan carrega. Contra o Bangu, jogo que marcou a estreia de Ganso, Allan esteve em campo por apenas dez minutos. O jogador entrou com a vitória tricolor decretada. Enquanto esteve em campo fez 18 passes e acertou todos. Além disso, acertou dois lançamentos do três tentados.

Entretanto, ele voltou a entrar em campo duas partidas depois, contra o Ypiranga. Na partida válida pela Copa do Brasil Allan atuou por mais tempo e buscou mais o jogo. Em 32 minutos em campo o volante deu 37 passes e acertou todos. Também foi mais ofensivo: deu dois chutes a gol, mas os dois pra fora. Contudo, não mostrou a mesma qualidade nos lançamentos e errou os dois que tentou.

Brilhou como titular

Volante fez excelente partida contra a Cabofriense. (Foto: Lucas Merçon | Fluminense)

Sendo assim, as partidas anteriores deram indícios de que o volante tinha a principal característica dos jogadores utilizados pelo técnico Fernando Diniz: bom passe. Com uma média de posse de bola acima de 60%, a equipe do treinador usa e abusa das trocas de passe. Esse pode ter sido um dos motivos pelo treinador optar por dar a chance da titularidade para o ex-volante do Liverpool.

Ele estreou como titular contra a Cabofriense, mas parece não ter sentido o peso da estreia. Ele atuou os 90 minutos e deu motivos de sobra para Fernando Diniz pensar em utiliza-lo como titular mais uma vez. Ao lado de Ganso, foi um dos motores do Fluminense na vitória da equipe.

Uma das estatísticas mais relevantes da estreia do volante como titular foi em passes certos. Ao todo, o Fluminense fez 611 passes certos durante a partida. Desse total, 115 foram feitos pelo Allan. Dos 120 tentados, errou apenas cinco. Esse número, logicamente, fez dele o jogador com mais posse de bola na partida 9,66%.

Dessa enorme quantidade, um dos passes foi uma assistência. O jogador escorou a bola para o gol de Yony González que abriu o placar no Maracanã. Todavia, nem só de passes vive o volante. O jogador foi o que mais desarmou ao lado do zagueiro Digão. Os dois jogadores fizeram dois desarmes cada um.

Deixe uma resposta