Abel reclama de chances perdidas e exalta “fantástico” Diego Alves

Paulo Chagas

, Flamengo

Depois da vitória sobre a LDU, o Flamengo conseguiu a tão sonhada liderança do Grupo D da Copa Libertadores da América. Entretanto, ainda há coisas a corrigir. Pelo menos, é o que diz o técnico Abel Braga, que não curtiu tanto o rendimento da equipe em frente ao gol, nesta quarta-feira (13).

Apesar de ter marcado três vezes, nas 12 finalizações que teve, o Flamengo desperdiçou metade desses chutes. Algumas dessas oportunidades perdidas foram inacreditáveis, como o chute por cima de Gabriel Barbosa, com o gol aberto. Para Abel Braga, chances como essa não podem ser desperdiçadas. Além disso, o técnico acredita que, caso Intriago convertesse o pênalti que cobrou no primeiro tempo, o jogo poderia ser completamente diferente.

“Estou contente com a vitória, com o resultado, mas ainda acho que estamos perdendo gol demais. Foram quatro chances claras e eles tiveram o pênalti. Se eles fazem o gol, o jogo muda. Eles mudaram a forma de jogar. Futebol às vezes tu paga, a bola às vezes pune”, afirmou Abel Braga.

Técnico elogia Diego Alves

Falando no fatídico pênalti perdido por Intriago, o lance parece ter aumentado ainda mais a moral de Diego Alves no Flamengo. Afinal, o goleiro fez uma excelente defesa na cobrança do volante equatoriano. Aliás, o Camisa 1 vem sendo importante nas últimas partidas do Flamengo. Contra o San José, no último dia 5, o goleiro foi eleito o melhor jogador em campo pelo Conmebol.

O rendimento de Diego Alves contrasta com o fim de ano conturbado do goleiro no Flamengo. Barrado pelo então técnico da equipe, Dorival Júnior, o Camisa 1 entrou em atrito com a coordenação técnica e até com o elenco rubro-negro. Mas, com a chegada de Abel Braga, o treinador bateu o pé para que Diego permanecesse. E o goleiro vem dando conta do recado.

“Hoje falei com o Diego Alves. Ele foi fantástico. Aquele momento do jogo complicaria, sem duvidas. Ele é um exímio pegador de pênaltis. Eu liguei para ele (no fim do ano) e o legal foi a rapaziada que o aceitou”, concluiu Abel Braga.

Deixe uma resposta