Ex-Flamengo é regularizado e pode estrear pelo Atlético-MG

O nome de Geuvânio, ex-Flamengo, já está regularizado junto à CBF e a Federação Mineira de Futebol e o atacante tem condições de estrear pelo Atlético-MG. Mas, a decisão de escalá-lo, agora, é de Levir Culpi e da comissão técnica. O Galo enfrenta no domingo o América, às 16h, no Mineirão, pelo Campeonato Mineiro.

Como foi anunciado como reforço esta semana e iniciou a pré-temporada depois do elenco, Geuvânio, tem chances remotas de ser relacionado até para o banco de reservas. Ele, inclusive, chega ao Atlético-MG para tentar encerrar um jejum de gols que está perto de completar um ano.

A última vez que fez um gol foi em 18 de março de 2018. Na ocasião marcou duas vezes na vitória do Flamengo sobre a Portuguesa da Ilha pelo Campeonato Carioca.

Geuvânio estava livre no mercado após o fim de seu contrato, em fevereiro deste ano, com o Tianjin Quanjian, da China. Nesse ínterim, como não demonstrou vontade em retornar para o futebol asiático, o jogador resolveu tentar a sorte no Brasil.

Geuvânio teve fraca passagem pelo Flamengo

Com passagem apagada pelo Flamengo, Geuvânio chega ao Atlético-MG a pedido do técnico Levir Culpi, com quem trabalhou no Santos. Além do treinador, ele terá a oportunidade de atuar novamente ao lado de Ricardo Oliveira. Os dois formaram dupla de ataque no clube paulista por duas temporadas,

Porém, no Atlético-MG precisará mostrar o faro de artilheiro que fez o Tianjin Quanjian investir 11 milhões de euros (R$ 46 milhões) em 2016. Após a saída de Vanderlei Luxemburgo, ele ficou sem espaço no clube chinês.

No retorno ao futebol brasileiro, Geuvânio teve fraca passagem pelo Flamengo. O atacante não conseguiu emplacar uma sequência de jogos com Reinado Rueda, Paulo César Carpegiani e Maurício Barbieri. Ele, no entanto, recebeu algumas oportunidades com Dorival Júnior. Mas, não correspondeu às expectativas do treinador.

Em 2018, Geuvânio atuou apenas em 12 dos 38 jogos do Flamengo no Campeonato Brasileiro. Ele, inclusive, passou a maior parte do tempo sem ser relacionado para a as partidas. Na Copa Libertadores da América, por exemplo, entrou em campo em quatro oportunidades. O jogador, no entanto, sequer somou 45 minutos em campo na competição continental.

Deixe uma resposta