Aos gritos de “Casaca” Eurico Miranda é sepultado

Joel Silva

, Destaque, Vasco

Mais de 200 pessosas, acompanharam o enterro do ex-presidente do Vasco, Eurico Miranda. O sepultamento aconteceu na tarde desta quarta-feira, no cemitério São João Batista, em Botafogo. Aos gritos de “Casaca”, Eurico recebeu a última homenagem dos familiares, amigos e torcedores. O presidente Alexandre Campello, que ajudou a carregar o caixão, destacou a importância do polêmico dirigente.

“Convivi com Eurico Miranda por 25 anos. Juntos, celebramos grandes títulos do Vasco. Eurico marcou definitivamente seu nome na história. É uma perda muito importante. Naturalmente fica um vazio grande no clube. Com seus erros e acertos tem uma história de muitas conquistas”.

Bastante emocionado, Eurico Brandão, o Euriquinho, filho e fiel escudeiro de Eurico Miranda na política vascaína, relatou a maior qualidade do pai.

“Não media as consequências nas atitudes que tomava para defender a família, os amigos e o Vasco. É difícil uma pessoa ter coragem para tomar certas atitudes sem antes pensar o que elas podem causar a você. Então ele defendia tudo que amava, sem pensar nele. Isso é uma das grandes virtudes dele. Ele sempre me dizia, meu filho as coisas precisam ser feitas da forma que o coração manda, as consequências a gente enfrenta amanhã. Essa coragem era incrível.”

Eurico Miranda morreu aos 74 anos vítima de um câncer no cérebro. Ele deixa mulher, 4 filhos e 9 netos.

Presidentes da FERJ e da CBF estiveram presentes

Os atletas do remo estiveram presentes durante todo o velório, acompanhando o corpo de Eurico Miranda, um grande defensor da modalidade. (Foto: Thiago Reis | Arquivo Pessoal)

Grandes personalidades da política do futebol compareceram ao enterro de Eurico Miranda. Amigo de longa data, o presidente da FERJ, Rubens Lopes, lamentou profundamente a morte do ex-presidente do Vasco.

“Evidentemente é uma perda muito grande. Ele era um ícone, um marco histórico do futebol nacional. Embora polêmico, como muitos dizem, tinha uma capacidade intelectual muito grande. O futebol perde muito com a ida dele. Não sei se ele era o meu maior aliado, mas era um grande aliado. A minha amizade com ele ultrapassou o limite do desporto, foi para o nível pessoal”.

O presidente da CBF, Coronel Nunes, também marcou presença e fez questão de destacar o amor que Eurico sentia pelo Vasco.

“É uma perda muito grande. Eurico sempre estava com a gente na CBF. Almoçava e muitas vezes ia reclamar da arbitragem (risos). Sempre foi um amigo sincero e leal. O Vasco era tudo para ele”.

Deixe uma resposta