Muralha analisa passagem pelo Flamengo e diz se sentir injustiçado

Filipe Carbone

, Flamengo

O goleiro Alex Muralha viveu dois anos de altos e baixos vestindo a camisa do Flamengo. Contratado com moral do Figueirense, o goleiro não passou pelo melhor momento da carreira na equipe da Gávea. O ex-camisa 1 deixou o clube por empréstimo após viver grande pressão da torcida.

Após uma passagem pelo Albirex Niigata-JAP, Muralha não ficou muito tempo em território carioca. O goleiro foi emprestado para o Coritiba, onde vai ficar emprestado até o fim da temporada. Em entrevista ao Esporte Espetacular, o jogador afirmou se sentir injustiçado pelo mau momento que viveu na Gávea.

“Um pouco. Me sinto sim um pouco injustiçado. Porque o que eu vivi dificilmente, como profissional, vi outro jogador passando por isso. Claro que eu tive meus momentos não tão bons. Mas isso já passou. Isso aí já foi. A gente está em 2019. Sei minha capacidade, sei do grande goleiro que eu sou. Mas eu me senti sim um pouco injustiçado”, afirmou o goleiro.

Muralha foi emprestado para o Coritiba
Passagem do goleiro pelo Flamengo foi marcada por altos e baixos. (Foto: Divulgação)

Cobrança de pênalti

Um dos principais calos no pé de Alex Muralha foi a cobrança da torcida em relação a atuação do goleiro nas cobranças de pênalti. O que já era ruim em função do mau retrospecto, se tornou ainda pior após a derrota para o Cruzeiro na final da Copa do Brasil em 2017. Na ocasião, a partida foi para as penalidades e o atleta teve a infeliz decisão de saltar para o mesmo lado em todas as cobranças da equipe celeste.

“Antes da Copa do Brasil, a gente sempre treinou, sempre treinou. Tanto que falam assim: O Muralha só pula para o lado direito! Mas eu não sou o primeiro a fazer isso. Isso é histórico. Recentemente, você pega a Copa do Mundo e acho que foi o De Gea que só pulou para o mesmo canto. É uma cultura diferente, entende? Como o Flamengo é um clube de massa, um clube que tem um peso muito grande isso acabou ficando marcado. Se tivesse dado certo, ninguém ia falar nada e iam falar: “poxa, você foi inteligente”. Então isso daí a gente vinha treinando pênalti, sempre treinou a vida toda e aquilo ali foi uma coisa que não deu certo”.

Goleiro foi emprestado para o Coxa. (Foto: Divulgação)

Recomeço

A ida para o Japão pode não ter rendido frutos a longo prazo, mas serviu para Muralha mudar de ares. Emprestado por uma temporada, o clube da segunda divisão do Campeonato Japonês não conseguiu adquirir o jogador por falta de dinheiro no caixa para realizar a contratação. Entretanto, voltou ao Brasil e esperou o interesse do Coxa para definir o clube no Flamengo.

“A palavra é um pouco pesada. Já estou com 30 anos. Mas eu queria provar para mim mesmo da minha capacidade. Tenho mais 2 anos de contrato com o Flamengo, eu não seria utilizado lá. Então eu precisava ir para um outro clube para poder jogar, para eu poder me sentir bem. Porque eu sempre gostei de jogar onde quer que eu fosse. Eu vim para cá para o Coritiba. Agradeço esse clube por essa oportunidade. Eu queria dizer para os torcedores que eu vou dar minha vida por esse clube. E vamos trabalhar até o final para gente ser campeão”, concluiu.

Deixe uma resposta