Fernando Diniz avalia partida e diz que placar “poderia ser mais elástico”

O placar de 2 a 1 entre Fluminense e Cabofriense refletiu bastante o que foi o jogo no Maracanã na tarde deste domingo. Uma partida pegada, brigada e com um futebol bem jogado. A equipe do interior do Rio incomodou o técnico Fernando Diniz e mostrou um bom futebol treinado pelo técnico Valdir Bigode, que assumiu o comando da equipe.

Talvez o resultado tenha dito bastante sobre a partida: um Fluminense melhor, que levou mais perigo, mas uma equipe que soube se defender e, apesar da derrota, também soube atacar. É bem verdade que o gol da Cabofriense só aconteceu no fim do jogo, mas seria o mais justo do que sair com um zero no placar.

Na coletiva após o jogo, o técnico Fernando Diniz falou sobre as dificuldades do Flu segurar os contra ataques do adversário e sobre as atuações de jogadores como Allan, volante que estreou como titular desde que chegou às Laranjeiras.

Chances criadas

“A questão ofensiva hoje, se não foi o melhor jogo do ano, foi dos melhores. O placar poderia ser mais elástico, muitas chances, escanteios, e tem muito para evoluir ainda. Os jogadores vão ganhando mais entrosamento, esperamos evoluir com o tempo”.

“A gente tem de saber melhor as chances, em determinadas partidas poderia fazer falta. Hoje também. O futebol é muito incerto. A gente tem de aproveitar melhor. Mas, em contrapartida, de chances claras, talvez seja o jogo que a gente criou mais”.

Allan e Dodi

“O Allan se portou bem, fez uma boa partida, o time se portou bem, principalmente no setor ofensivo. Fizemos dois gols, mas poderíamos ter feito outros. Tudo pode melhorar com o decorrer do tempo. Na quarta ele já tinha feito boa partida, todos sabem da criatividade dele, a genialidade que tem, a tendência é de evolução”. afirmou Fernando Diniz.

“Talentoso, está se adaptando ao mundo dos grandes clubes como é o Flu. Tem treinado muito bem, fez uma partida estável. Jogou um pouco fora das suas características, mas é um jogador que tem tendência de evoluir muito durante a temporada”.

Insistência pela direita

“Os fatores preponderantes para o jogo ter ido mais para o lado direito foram a presença Gilberto e a ausência do Everaldo. A maior parte do tempo as jogadas são realizadas por ele no lado esquerdo. A presença do Gilberto facilitou no lado direito”.

Cabofriense segue com chances de se classificar apesar da derrota. (Foto: Lucas Merçon | Fluminense)

Chances da Cabofriense

“Incomodou, mas acho que o que tivemos de mais negativo foram as transições que oferecemos. A equipe fez uma boa partida, tinha de ter aproveitado melhor as chances. Futebol não é jogo de azar, tinha de aproveitar e evitar as chances do adversário”, finalizou o treinador Fernando Diniz.

Deixe uma resposta