O Calvário de Berrío: lesões, poucos minutos e concorrência

A vida de Orlando Berrío no Flamengo não tem sido das mais fáceis. O atacante chegou para ser a principal opção de velocidade, mas vem convivendo com lesões desde outubro do ano passado. Logo depois de ter rompido o tendão patelar do joelho esquerdo, o colombiano não consegue engatar uma sequência de jogos e, novamente, se lesionou.

Os problemas de Berrío com lesões começaram em outubro de 2017. Titular na derrota para o São Paulo, por 2 a 0, o atacante foi substituído aos 5’ do segundo tempo, com dores no joelho. Logo depois de exames, foi diagnosticado que o colombiano rompeu o tendão patelar após tentar um chute.

A gravidade da lesão obrigou Berrío a ficar oito meses fora dos gramados. Entretanto, o sofrimento estava longe de terminar. Mesmo que o Flamengo tenha ampliado o processo de recuperação, para que o atacante voltasse na melhor forma, Berrío teve uma nova lesão. Mas, dessa vez, foi uma entorse no tornozelo que tirou o colombiano de combate por mais um mês.

Berrío jogou apenas nove jogos em 2018

(Foto: Reprodução | Globo)
Vivendo bom momento no Flamengo, Berrío teve grave lesão no joelho (Foto: Reprodução | Globo)

Em meio a esses problemas físicos, Berrío só voltou a jogar em setembro do ano passado. Mas as coisas não eram mais como antes. Afinal, o Flamengo tinha contratado Vitinho, maior contratação da história do clube na época. Além disso, o então treinador da equipe, Dorival Júnior, preferia Geuvânio, homem de confiança do técnico nos tempos de Santos.

Utilizado muitas vezes como opção de velocidade no segundo tempo das partidas, Berrío jogou nove jogos. Entretanto, o atacante teve, somados, apenas 140 minutos em campo, pouco mais de uma partida e meia pelo Flamengo em 2018. E o cenário parecia ainda pior para a temporada seguinte. Afinal, as chegadas de Bruno Henrique, Arrascaeta e Gabigol, que também jogam pelos lados, poderiam reduzir ainda mais as chances de Berrío no Rubro-Negro.

Atacante continuou no clube mesmo com interesse do mercado

(Foto: Alexandre Vidal | Flamengo)
Atacante teve duas lesões musculares em dois meses, logo depois de Flamengo garantir permanência (Foto: Alexandre Vidal | Flamengo)

A falta de espaço de Berrío fez com que o Atlético-MG tentasse o empréstimo do atacante no início desta temporada. Entretanto, o técnico Abel Braga bateu o pé para que o jogador permanecesse no Flamengo. O colombiano ainda foi elogiado pelo rendimento nos treinos. O que o treinador não contava é que Berrío teria duas lesões musculares em dois meses.

Na véspera da estreia do Campeonato Carioca, Berrío teve uma lesão no músculo posterior da coxa esquerda. A contusão deixou o colombiano fora de combate por três semanas. Mas, assim que voltou, o atacante ganhou oportunidades contra Americano e Portuguesa, saindo do banco. O colombiano foi bem e deu assistência para Diego, na goleada por 4 a 1, sobre a equipe de Campos.

Com o bom rendimento, Berrío era visto como peça importante para a estreia do Flamengo na Libertadores, contra o San José-BOL. Veloz e adaptado à altitude, o atacante ofereceria o fôlego necessário para a equipe em Oruro. Mas ninguém contava que o colombiano teria uma nova lesão no músculo da coxa esquerda.

Com apenas 14 meses jogados dos 27 que tem no Flamengo, Berrío vem sofrendo para conseguir engatar uma sequência no Rubro-Negro. Mesmo que tenha moral com Abel Braga e a compreensão da torcida, terá que se superar para voltar à boa forma. Afinal, com tantos problemas físicos, o colombiano não conseguiu repetir o futebol que o fez campeão da América pelo Atletico Nacional.

Deixe uma resposta