Ideia inicial de Zé Ricardo é utilizar Diego Souza no ataque

Diego Souza, grande reforço do Botafogo até o momento, foi anunciado oficialmente pela diretoria do clube na tarde desta sexta-feira. O técnico Zé Ricardo concedeu entrevista coletiva antes do treino da equipe. Perguntado se pretende utilizar o atleta no meio de campo ou no ataque, o técnico alvinegro afirmou que a princípio, a ideia é escalá-lo como centroavante.

“Primeiro pensamento é utilizá-lo no comando do ataque. Um jogador diferente, referência em campo. Passados os treinamentos, podemos optar por utilizá-lo em uma posição mais no meio de campo. Temos que ver os treinamentos, mas o primeiro pensamento é no ataque”, declarou.

Zé Ricardo admitiu que pretende contar com mais reforços ainda para esta temporada. O técnico destacou que com as saídas de Leandro Carvalho, vendido para o Ceará, e Marcos Vinicius, emprestado a Chapecoense, o Botafogo precisa de peças de reposição.

“Pensamos em mais dois, três nomes para manter nossa ideia. Com a saída do Leandro Carvalho e do Marcos Vinicius, temos que procurar mais esses nomes. Teremos a mesma cautela para encontrar jogadores no perfil que pensamos”, disse.

Taça Rio e Madureira

Como o Glorioso está em situação complicada na classificação geral do Campeonato Carioca – é o novo, com cinco pontos -, o melhor caminho para seguir vivo na luta pelo bicampeonato estadual é a conquista da Taça Rio. Zé Ricardo reconhece que a missão é difícil, mas foca em conquistar quatro vitórias nas partidas que restam.

“Temos que procurar fazer 100% nesses quatro jogos que faltam, é difícil. Mas vínhamos numa sequência tão difícil quanto e ficamos seis jogos sem perder. Tem que servir como inspiração para a gente”, falou.

O próximo compromisso do Glorioso no segundo turno do Estadual é nesta segunda-feira (11), contra o Madureira, às 20h (de Brasília), no Estádio Nilton Santos. O comandante alvinegro pontuou que se algum atleta correr risco de lesão, irá poupar.

“Fora mesmo só o Alan Santos e o Carli. Não descarto mais ninguém. Mas sempre sustentando que se houver um risco acima para qualquer atleta, vamos poupar”, concluiu.

Deixe uma resposta