Nenê no Fluminense? Não, obrigado!

Nenê não é craque. Além disso, acho pouco provável que seja útil ao Fluminense. Uma eventual contratação colocaria mais gasolina no conturbado ambiente do elenco. Nunca conversei com o Nenê, mas ouço coisas horríveis dele desde os tempos de Vasco. Dizem que é insuportável, mascarado, folgado, bate de frente com dirigentes e derruba treinadores.

Nenê não deu certo no São Paulo, assim como ficou devendo durante sua passagem pelo Vasco. Ele está cavando sua saída do Tricolor Paulista e está desesperado para voltar a jogar no futebol carioca. Por aqui, não há cobrança e a imprensa é boleira.

A diretoria deveria ser mais profissional, criativa e agressiva no mercado da bola. Basta se esforçar um pouco mais para encontrar o jogador ideal para o time. O Fluminense sabe da necessidade de reforçar o elenco. Afinal Paulo Henrique Ganso não pode ser encarado como a solução para todos os problemas da equipe.

Nenê é lento, ultrapassado e está em final de carreira. O jogador tem status de craque e obriga Fernando Diniz colocá-lo em campo. Só que a necessidade do Fluminense é outra. O time tricolor seguirá tendo posse de bola e continuará sem o drible e sem a velocidade com Nenê em campo. Até porque a demanda de intensidade que o treinador vem implantando no time não comporta um jogador como Nenê. Ele não vai arrumar nada com o treinador

A vinda do Nenê pode funcionar mais como pegadinha do que como reforço de verdade. Seria caso de polícia. Não para prender Nenê e sim os envolvidos na negociação. Essa resenha morta de que o jogador é diferenciado e que pode agregar experiência ao time não cola comigo. Papo furado!

É apenas uma questão de esfriar a cabeça, ser racional e analisar melhor a situação. O cenário tricolor não é propício para um jogador que gosta de posar de bom moço. Até porque, a fama de agitador depõe contra ele.

CURTINHAS:

RECORDAR É VIVER: “Queremos jogadores comprometidos com a camisa, com o clube.” A frase é de Paulo Pelaipe, ex-diretor executivo de futebol do Vasco, ao justificar a ida de Nenê para o São Paulo. Na ocasião, o atleta externou sua insatisfação com os salários atrasados na Colina Histórica. Vale o torcedor do Fluminense ficar de olho!

CASCALHO: Nenê ganha R$ 450 mil no São Paulo. O valor é considerado fora da realidade financeira do Fluminense. O teto salarial do Tricolor das Laranjeiras é de R$ 150 mil. O jogador tem contrato com o clube paulista até dezembro de 2019. O vínculo foi renovado na última temporada após o atleta sofrer assédio de clubes do Oriente Médio.

CALOTE: De acordo com apuração da reportagem do Esporte 24 Horas, Nenê tem uma grana altíssima para receber do São Paulo. Por isso, a negociação não foi à diante com o Fluminense. O Tricolor Paulista deve ao atleta pouco mais de R$ 1 milhão. O valor é referente a direitos de imagem e premiações atrasadas. O São Paulo quer o perdão da dívida para liberar Nenê.

NÚMEROS: Nenê chegou em janeiro de 2018 no São Paulo. Nesse ínterim, entrou em campo em 63 partidas e fez 12 gols. Além disso, foi comandado por Dorival Júnior, Diego Aguirre, André Jardine e Vagner Mancini desde que foi contratado pelo clube.

NÓ TÁTICO: Nenê funciona bem quando atua do meio para frente. Ele também tem bom desempenho quando joga atrás do atacante ou como segundo atacante, com mais liberdade. Assim, ele tem mais fôlego para fechar o meio e energia para atacar a área adversária.

Deixe uma resposta