Os 12 Trabalhos de Arrascaeta

De acordo com a mitologia grega, Hércules era filho de Zeus com uma humana: um semideus. Mas o ser mais forte da Grêcia foi amaldiçoado por Hera, esposa do deus do trovão. Sob o controle da deusa da fertilidade, matou a mulher e os filhos. Ao recobrar a consciência, procurou o Oráculo de Delfos, que o fez cumprir os famosos 12 Trabalhos para o rei da cidade de Micenas, Euristeus, como forma de remir os assassinatos que cometeu.

Muitos anos e quilômetros depois, um antigo carrasco do Flamengo tenta conquistar a torcida que tanto fez sofrer há algumas temporadas. Maior contratação da história do clube, Giorgian De Arrascaeta terá uma jornada pela frente para conquistar a torcida. Além disso, ganhar os títulos que os rubro-negros tanto esperam nesta temporada. Mas afinal, quais seriam os 12 Trabalhos de Arrascaeta?

A redenção após o susto

Redenção do erro no clássico contra o Fluminense: No primeiro jogo decisivo da temporada, Giorgian de Arrascaeta entrou para garantir a classificação para a final da Taça Guanabara, contra o Tricolor. Entretanto, acabou errando o passe que gerou o gol de Luciano, nos minutos finais da partida. Agora, o Camisa 14 precisa mostrar para torcida que a falha foi apenas um erro de percurso.

Ser importante em clássicos: A Arrascaeta não basta simplesmente se redimir do erro no Fla-Flu. O uruguaio precisa ser importante em quase todos os clássicos. Mesmo que o Flamengo sonhe com voos mais altos em 2019, o torcedor não esquece dos jogos contra os rivais, que costumam ser termômetros do momento rubro-negro.

Adaptar e conquistar

Arrascaeta e Bruno Henrique em ação pelo Flamengo

Mesmo que tenham estilos diferentes, Arrascaeta e Bruno Henrique brigam por vaga na mesma faixa de campo (Foto: Alexandre Vidal | Flamengo)

Adaptação a novas funções: Tanto no Cruzeiro, quanto na seleção uruguaia, Arrascaeta jogou como meia esquerda. Só que no Flamengo, Bruno Henrique vem pedindo passagem por aquele lado. Contra o Americano, no último domingo (24), o meia jogou pelo lado oposto, mas fez partida regular. Com Diego em boa fase por dentro e com a preferência de Abel Braga em ter um time com dois volantes, o uruguaio pode ter que se adaptar a uma nova forma de jogar.

Conquistar a titularidade em um elenco estrelado: Desde que o Flamengo conseguiu recuperar as finanças, o clube vem montando equipes estreladas. E em 2019 não é diferente. Com isso, Arrascaeta terá que suar a camisa para ganhar uma vaga entre os titulares, mesmo sendo a contratação mais cara da história do clube.

Ter uma boa sequência de jogos: Ser titular num time badalado não é a coisa mais fácil do mundo. Agora, imagina se manter entre os 11 favoritos de Abel Braga? O treinador já afirmou que vai rodar a equipe durante a temporada. Entretanto, o técnico tem um time-base na cabeça. Assim, ser peça fixa dessa equipe é uma das grandes missões de Arrascaeta.

Hora de decidir

Arrascaeta em ação pelo Cruzeiro

Na Copa do Brasil de 2018, Arrascaeta veio de amistoso no Japão para dar o título para o Cruzeiro (Foto: Vinícius Silva | Cruzeiro)

Ser tão decisivo como nos tempos de Cruzeiro: Arrascaeta jogou quatro finais pela Raposa e ganhou três. Em todos os títulos, o meia marcou gols. Além disso, foi peça importante no bi-campeonato da Copa do Brasil, em 17 e 18. O então Camisa 10 ainda marcou um gol sobre o Flamengo, no Maracanã, na decisão do ano retrasado. Agora, com a camisa rubro-negra, o uruguaio precisa mostrar para a torcida que pode ser letal também no Mais Querido.

Desfazer o estereótipo de “banana” dado a outras contratações: Muitos torcedores acreditam que a falta de títulos passa pela contratação de jogadores que não têm “cara de Flamengo”. O jornalista Mauro Cezar Pereira, da ESPN, chegou a apelidar a equipe de “Time de Bananas”. Uruguaio, Arrascaeta chega para trazer o espírito brigador dos porteños para o Rubro-Negro.

A referência de uma nova geração

Ser um dos líderes da renovação do Flamengo: Caso Arrascaeta consiga ajudar a mudar o estereótipo de “Time de Bananas”, é bem provável que o Camisa 14 se torne um dos líderes do elenco. Há quatro meses de completar 25 anos, o uruguaio está se aproximando da maturidade técnica e física. E isso pode colaborar e muito para os objetivos rubro-negros nesta e nas próximas temporadas.

Ser a referência em situações adversas em campo: A liderança traz responsabilidades, e com Arrascaeta não é diferente. Tornando-se líder no elenco, a bola vai chegar mais vezes para o uruguaio. E, assim como nos tempos de Cruzeiro, o Camisa 14 terá que chamar para si o peso de ser o maestro do time.

Ganhar títulos importantes pelo Flamengo: Quando Arrascaeta engrenou uma boa sequência pelo Cruzeiro, o então Camisa 10 foi peça importante dos títulos celestes nos últimos anos. E é possível que as coisas sejam parecidas também pelo Flamengo. Decisivo e com faro de gol, o uruguaio tem tudo para repetir a rotina de títulos pelo Rubro-Negro.

A consolidação de um novo ídolo

Arrascaeta em ação pelo Uruguai

O dono da 10: Arrascaeta é um dos grandes nomes da renovação na seleção uruguaia (Foto: Reprodução | FUF)

Resistir às propostas do exterior: Com gols, protagonismo e títulos, é óbvio que Arrascaeta vai chamar atenção do futebol europeu. Com moral no Flamengo e comandando a nova geração do futebol uruguaio, o meia terá que lidar com a sedução financeira e profissional. Se sair, sairia por cima. Se ficar, em tempos de enfraquecimento do futebol de clubes no continente, entra de vez no coração dos rubro-negros.

Ser ídolo do clube: Conseguindo cumprir os outros 11 Trabalhos, a idolatria dos flamenguistas por Arrascaeta se torna praticamente óbvia. O equilíbrio financeiro era um sonho dos rubro-negros. Mas, mais do que isso, os torcedores desejam títulos importantes. Com o uruguaio liderando esse nova era, o Camisa 14 entra de voadora no panteão de ídolos do Flamengo.

Atacante se aproxima de acerto com o futebol chinês