Landim: Flamengo ofereceu valor acima do teto para famílias de vítimas

O presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, deu entrevista coletiva na tarde deste domingo (24). Duas semanas após o acidente no Ninho do Urubu, o mandatário rubro-negro prestou esclarecimentos sobre a indenização às famílias das vítimas do incêndio. Logo depois das críticas por conta do valor oferecido pelo clube aos familiares, Landim se posicionou sobre a situação.

Rodolfo Landim afirmou que todas as famílias vêm conversando individualmente com o Flamengo. Assim, o presidente não acredita que os parentes queiram um acordo coletivo de indenizações pagas pelo clube. Além disso, o mandatário reforçou que o valor oferecido pelo clube (pouco mais de R$ 400 mil, de acordo com o Ministério Público) está acima do que é normalmente pago em casos como este.

“Em relação às famílias querendo um acordo coletivo, não é o que estamos sentindo. As famílias estão vindo conversar conosco e estamos querendo ouvir as necessidades de cada uma. O que foi colocado na mediação foi um piso de valor. O Flamengo está propondo o dobro do que existe na jurisprudência. O que não significa que se alguém me pedir 10x ou 100x mais, nós teremos que pagar”, disse Rodolfo Landim.

Landim afirma que Flamengo está buscando saídas para amenizar a dor das famílias

Alojamento no Ninho do Urubu após incêndio

Incêndio no Ninho do Urubu matou 10 adolescentes e deixou três feridos, há duas semanas (Foto: Reprodução | TV Globo)

O presidente do Flamengo reforçou o compromisso de buscar um acordo o mais rápido possível com as famílias. Rodolfo Landim entende que muitas famílias busquem o retorno financeiro na justiça. Entretanto, Landim segue afirmando que o compromisso rubro-negro, neste momento, é amenizar a dor das famílias.

“Nossa esperança é que consigamos chegar a um acordo rápido com todas as famílias. Algumas famílias já têm advogados para judicializar. É o direito delas. Não é o que queríamos, mas estão no direito delas. Todo acidente traz oportunidades para que possamos melhorar. Agora não tenho dúvida de que foi uma fatalidade. Infelizmente aconteceu. Não posso imaginar que alguém pense que aconteceu por algo que o clube não fez, não ligava, não dava importância. A vida não tem preço, mas estamos buscando saídas para amenizar essa dor”, concluiu Rodolfo Landim.