“Não participei”, diz comandante do GEPE sobre reunião da semifinal

Filipe Carbone

, Vasco

Em entrevista exclusiva ao Esporte 24 horas, o Comandante do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios, Major Sílvio Luiz, afirmou não ter se reunido com a FERJ para a definição da realização do jogo entre Vasco e Resende, nesta quarta-feira (13). Em conversa com o repórter Joel Silva, o comandante disse que a decisão foi tomada pelo Comando da Polícia Militar, junto ao órgão máximo do futebol no Rio de Janeiro.

Com a ameaça de queda de tempestade no Rio de Janeiro, na noite do jogo entre Vasco e Resende, a Prefeitura do Rio se reuniu com a FERJ, nesta semana. O Município chegou a recomendar o adiamento da partida. Entretanto, de acordo com o Major Sílvio Luiz, a manutenção do dia do jogo entre Vasco e Resende no Maracanã foi tomada por conta de possíveis problemas de segurança que poderiam acontecer caso a partida fosse adiada. Afinal, por conta do calendário do futebol carioca, a partida aconteceria na quinta-feira (14), dia do Fla-Flu.

“Na verdade, não houve reunião comigo. Houve uma consulta por parte da FERJ e essa consulta foi levada ao Comando da Polícia Militar que é quem cabe tomar essa decisão. Realmente fazer duas semifinais no mesmo dia, Maracanã e São Januário, com a proximidade que os estádios têm. Deslocamento de trem, ônibus, das torcidas do Vasco, Flamengo e Fluminense, quase de forma concomitante, é colocar em risco a segurança do torcedor. Então, é uma situação complicada. Não foi cogitada, pelo menos pra mim, a hipótese de portões fechados em São Januário. Então a decisão foi tomada em cima do deslocamento de três torcidas rivais, quase ao mesmo tempo, em estádios tão próximos”, disse o Major Sílvio Luiz.

Fortes chuvas vêm causando estragos no Rio de Janeiro desde a última semana (Foto: Nathalia Castro | TV Globo)

Fator segurança pesou na decisão

Por conta das fortes chuvas, o público no Maracanã foi limitado em 15 mil pessoas. Mesmo que a quantidade de pessoas seja reduzida, o contingente policial não sofreu grandes alterações. De acordo com o Major Sílvio Luiz, apenas a parte interna do estádio terá policiamento reduzido. Entretanto, o lado externo do Maracanã seguirá com a quantidade de policiais normal para uma semifinal de campeonato.

“O evento acabou se tornando um jogo de público reduzido. A carga de ingressos ficou limitada em 15 mil. Já tínhamos aí um número próximo de 10 mil vendidos. Então isso acabou fazendo que o policiamento no local ficasse até em um número superior do que a gente utiliza em um jogo de 10, 15 mil pessoas, tendo em vista que tínhamos o planejamento pronto. Fizemos algumas reduções porque alguns setores não vão abrir. Então, na parte interna fizemos algumas reduções, considerando que nós teremos alguns setores fechados. E o policiamento externo, a gente manteve. Porque se trata de um jogo semifinal, podendo comparecer cerca de 15 mil torcedores”, concluiu o comandante do Gepe.

*Colaborou Joel Silva

Raio-X: Tudo o que você precisa saber sobre Vasco x Resende