Atlético-PR vence e conquista a inédita Copa Sul-Americana

Quem disse que somente o River Plate é o dono da América? Nesta quarta-feira, o Atlético-PR mostrou que também pode ser chamado de dono! A equipe venceu o Junior Barranquilla, na Arena da Baixada, nos pênaltis, após novo empate em 1 a 1, e conquistou o inédito título da Copa Sul-Americana. Assim como na final da Libertadores, a partida foi decidida nos pênaltis. Pênalti, inclusive, que poderia ter dado o título aos colombianos na prorrogação, mas Barrera mandou para fora, faltando dez minutos para o final.

Aos 25 do primeiro tempo, Pablo, o artilheiro, abriu o placar. Ele recebeu lançamento de Léo Pereira, tabelou com Raphael Veiga, e tocou na saída do goleiro Viera. Com este gol, Pablo empatou com Benedetti, do Deportivo Cali, como artilheiro da competição, ambos com cinco gols.

Pablo marca e comemora mais um gol na temporada ( Foto: Reprodução | Twitter )

O jogo, muito bom por sinal, fazendo valer a pena ser uma decisão de campeonato, segui a todo vapor. No segundo tempo, o Junior pressionou e chegou ao gol, com Téo Gutiérrez, que retornava de suspensão.

Aos 12, após cobrança de escanteio, o zagueiro Gómez subiu mais que o time do Atlético-PR e mandou para dentro da pequena área. Téo, bem posicionado, desviou e tirou qualquer chance de defesa para Santos.

Depois do empate, Junior e Atlético-PR alternaram momentos de pressão, mas não conseguiram marcar e o jogo foi para a prorrogação.

Torcida do Furacão fez bonito na Arena da Baixada ( Foto: Reprodução | Twitter )

Nos 30 minutos extra, o Atlético-PR ficou sem seus dois artilheiros. Pablo e Nikão, cansados, deixaram o campo para as entradas de Bergson e Marcinho.

Já esgotados fisicamente, os dois times não criaram mais tantas chances e a partida foi para a decisão por pênaltis.

Sofrimento até o final

O Junior começou cobrando com Narváez, que fez 1 a 0. O lateral-direito Jonathan empatou. Depois, Fuentes acertou a trave e Raphael Veiga colocou o Furacão em vantagem. A cobrança seguinte foi de Rafael Pérez, que fez o segundo gol do time colombiano. Em seguida, Téo Gutiérrez, artilheiro da equipe, isolou.

A chance caiu nos pés de Renan Lodi, que atuou em todas as partidas. O lateral-esquerdo, que se destacou na temporada e é cobiçado por vários times no Brasil e na Europa. Porém, o jogador bateu para fora e adiou a emoção.

O Junior ainda acreditava que daria para empatar, e chegou a ficar mais perto com a cobrança do goleiro Viera, que quase parou nas mãos de Santos. A decisão ficou para o então capitão Thiago Heleno (Lucho saiu na segunda etapa). O zagueiro fuzilou Viera e garantiu o primeiro título internacional da história do Atlético-PR.

Premiação

Campeão, o Atlético-PR leva para casa a quantia de U$ 4,42 milhões  ( cerca de R$ 14,6 milhões), além da tão esperada vaga para a Taça Libertadores de 2019. No Campeonato Brasileiro de 2018, o Atlético-PR terminou na sétima posição, ficando de fora do G-6. Por isso, para conseguir a vaga, teria que levantar o caneco diante do Junior Barranquilla. Missão cumprida.

Além de ter a chance de disputar a Recopa Sul-Americana contra o River Plate, e a Copa Suruga, no Japão.

Atlético muda de nome e escudo

Na véspera da grande final, outra importante decisão para o Furacão. A equipe divulgou os novos uniformes, o novo escudo e a alteração no nome, que agora inclui a letra “h” no meio.

A mudança, porém, não agradou aos torcedores do Atlético-PR que, através das redes sociais, falaram poucas e boas para a diretoria.

O novo escudo não agradou ( Foto: Reprodução | Instagram )

Antes da grande final, Lucho renova com o Atlético-PR