Tévez reclama de jogar final em Madri

Acostumado a brilhar nos gramados da Europa, Carlitos Tévez, atacante do Boca Juniors, gostaria que seu brilho neste domingo fosse em Buenos Aires. De volta ao futebol argentino após anos no velho continente, o atacante reclamou de a final da Taça Libertadores ser disputada em Madri.

“É muito estranho para nós jogar uma final da Copa Libertadores na Espanha. Eu não estou de acordo. Os que saem perdendo com isso são os jogadores. Nós jogamos no estádio do Boca. Queríamos jogar a volta no estádio do River. Nós queríamos ter a chance de ganhar lá, e eles também”, disse o atacante.

Neste domingo, River Plate e Boca Juniors decidem quem será o dono da América, porém, na Europa. Depois de muita confusão envolvendo torcedores do River e o ônibus do Boca, no último dia 24 de novembro, quando a equipe xeneize chegava no Estádio Monumental de Nuñez para a segunda partida da decisão, a Conmebol transferiu a partida para um lugar neutro.

Muitos torcedores de Boca e River viajaram da Argentina para acompanhar o clube de coração. Para estes, em especial do Boca, Tévez fez um agradecimento especial.

“É importante para nós o apoio da torcida, somos muito gratos. Sabemos que na Argentina as coisas não estão bem. E também pedimos que os torcedores nos desculpem. Essa é uma ideia da Conmebol, que não pensa no povo e nem nos jogadores”, completou Carlitos.

É provável que Tévez fique na reserva de Benedetto, autor de um dos gols na partida de ida, que terminou em 2 a 2 em La Bombonera. Para o jogador do Boca, apesar da preferência por atuar em Buenos Aires, pisar no Bernabéu será uma honra.

“É muito bom estar aqui, mas todos os jogadores gostariam de ter jogado no Monumental. O que aconteceu é uma vergonha para a Argentina. Tomara que não aconteça de novo e tomara que não se repitam aquelas cenas aqui em Madri”, afirmou Benedetto.

Ronaldo elogia escolha da Conmebol

Se por um lado os jogadores de River e Boca reclamam do fato de a partida ter sido transferida para a Espanha, Ronaldo, ídolo do Real Madrid, elogiou a escolha da Conmebol, em entrevista ao jornal espanhol El País.

“A final em Bernábeu é uma boa solução esportiva e logística para as duas equipes e para os torcedores. Foi uma situação de emergência. O que aconteceu na Argentina foi muito feio e não é um problema do futebol, mas sim um problema social, em que vemos que ainda há pessoas querendo causar confusão onde não precisa”, disse o fenômeno, em evento no México.

Ronaldo, além de ter atuado nos dois maiores clubes espanhóis, agora é um dos donos do Valladolid, que atua na primeira divisão.

Boca Juniors desembarca em Madri para a decisão