Boca Juniors desembarca em Madri para a decisão

Na madrugada de terça para quarta-feira, o Boca Juniors deixou Buenos Aires em direção a Madri, local da grande final da Taça Libertadores neste domingo, contra o maior rival, o River Plate. A equipe desembarcou na capital espanhola na tarde desta quarta e foi recebida com festa no hotel.

Antes, ainda em Buenos Aires, torcedores xeneizes fizeram uma grande festa no aeroporto para desejar boas energias aos jogadores. Houve uma grande movimentação em volta do ônibus que levava a delegação, totalmente diferente de quando foi apedrejado por torcedores do River Plate no dia em que partida deveria ter sido realizada.

Torcida do Boca faz festa em volta do ônibus antes do embarque ( Foto: EFE )

Nesta quinta, às 7h (horário de Brasília), a equipe faz o primeiro treinamento em solo espanhol em Las Rozas, prédio da Federação Espanhola.

Como não poderia deixar de ser, Carlitos Tévez foi o mais festejado e aclamado pela torcida que aguardava os jogadores na porta do hotel. Porém, como houve atraso no voo, os jogadores saíram do aeroporto e chegaram ao hotel rapidamente, sem dar entrevistas e nem autógrafos.

River desembarca nesta quinta

A partida ainda não começou, mas em termos de logística o Boca Juniors saiu na frente. O River Plate embarcou apenas na noite desta quarta e chegará em Madri na quinta pela manhã.

Pity Martínez publicou foto antes da decolagem ( Foto: Reprodução | Instagram )

Após o desembarque, os jogadores descansarão no hotel e, às 15h (Brasília), realizam o primeiro treinamento no CT do Real Madrid.

A partida, finalmente, será disputada neste domingo, às 17h30 (Brasília), no Estádio Santiago Bernabéu.

Relembre o ocorrido

No dia 24 de novembro, a chegada do Boca Juniors ao Monumental de Nuñez foi bastante conturbada. O ônibus da equipe foi recebido por pedradas dos torcedores do River, que chegaram a quebrar algumas janelas. A partida, incialmente marcada para às 18h (Brasília), teve o primeiro adiamento para uma hora mais tarde confirmado pela Conmebol.

A polícia precisou reagir e usou spray de pimenta para conter os torcedores mais exaltados. Porém, o forte cheiro teve consequências nos jogadores do Boca, que desceram do ônibus em direção ao vestiário tossindo bastante e com a camisa cobrindo o rosto para não inalarem mais deste gás tóxico.

Um médico da Conmebol, ao ver a chegada do Boca, afirmou: “Os jogadores estão feridos”. Abaixo, podemos ver a chegada de Carlos Tévez aos vestiários, com bastante dificuldade de respirar.

Mais tarde, Pablo Pérez, capitão do Boca, foi levado ao hospital com ferimentos no braço causados pelos destroços dos vidros quebrados e também com uma lesão no olho, que o tiraria da partida caso ela fosse realizada.

A Conmebol chegou a adiar o jogo para domingo, porém, mais uma vez, a partida não aconteceu. Somente alguns dias depois, a Conmebol tomou a decisão de realizar a partida em Madri, algo que não agradou ao River Plate, e nem a muitos ícones e personalidades do futebol.

Pedido de título do Boca é negado e River é punido