Pedido de título do Boca é negado e River é punido

Após pedir ao Tribunal de Disciplina da Conmebol que os pontos da partida de volta fossem dados para si, o Boca Juniors não foi declarado campeão pela entidade, como gostaria. Por causa de toda a confusão ocorrida na partida de volta, no último sábado, em que o ônibus da equipe foi recebido com pedradas por torcedores rivais, o Boca Junior apelou para o Tribunal solicitando o título da competição.

Nesta quinta, porém, o pedido foi negado. Além disso, o Tribunal anunciou uma punição ao River de de U$ 400 mil (cerca de R$ 1,5 milhão) e dois jogos como mandante com os portões fechados.

O paraguaio Eduardo Gross Brown, a venezuelana Amarilis Belisario e o chileno Cristóbal Valdés foram responsáveis pelas decisões. O representante brasileiro, Antonio Carlos Meccia, que se encontra nos Estados Unidos, não participou da decisão, assim como o argentino Diego Carlos Hernán Pirota, que por se tratar de duas equipes de seu país, não pôde participar.

Todas as decisões estão sujeitos a recursos. Primeiramente, ao Comitê de Apelações da Conmebol e depois ao Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), na Suíça, a última instância da Justiça Desportiva internacional.

A decisiva partida de volta será disputada no próximo dia 9 de dezembro, em Madri, no Estádio Santiago Bernabéu, conforme anunciado pela Conmebol nesta quinta-feira.

O ocorrido em Buenos Aires

A chegada do Boca Juniors, no último sábado, ao Monumental de Nuñez foi bastante conturbada. O ônibus da equipe foi recebido por pedradas dos torcedores do River, que chegaram a quebrar algumas janelas. A partida, incialmente marcada para às 18h (Brasília), teve o primeiro adiamento para uma hora mais tarde confirmado pela Conmebol.

A polícia precisou reagir e usou spray de pimenta para conter os torcedores mais exaltados. Porém, o forte cheiro teve consequências nos jogadores do Boca, que desceram do ônibus em direção ao vestiário tossindo bastante e com a camisa cobrindo o rosto para não inalarem mais deste gás tóxico.

Um médico da Conmebol, ao ver a chegada do Boca, afirmou: “Os jogadores estão feridos”. Abaixo, podemos ver a chegada de Carlos Tévez aos vestiários, com bastante dificuldade de respirar.

Mais tarde, Pablo Pérez, capitão do Boca, foi levado ao hospital com ferimentos no braço causados pelos destroços dos vidros quebrados e também com uma lesão no olho, que o tiraria da partida caso ela fosse realizada.

A Conmebol chegou a adiar o jogo para domingo, porém, mais uma vez, a partida não aconteceu. Somente nesta quinta-feira uma decisão foi tomada e apoiada pelas duas equipes.

Maradona pede que Conmebol dê título ao Boca