Não se assuste: Boca e River farão final em Madri

O Estádio Santiago Bernabéu, casa do Real Madrid, vai viver um domingo bem diferente do que está acostumado, no próximo dia 9 de dezembro. O lendário palco, onde já passaram grandes jogadores, vai receber a partida final da Taça Libertadores entre River Plate e Boca Juniors.

Após dois adiamentos (no último sábado e domingo), muito especulou-se sobre o novo local da final, já que Buenos Aires e o Monumental de Nuñez estavam vetados por falta de segurança. Dubai, Miami e até mesmo países sul-americanos como Paraguai e Bolívia estiveram entre os cotados para sediarem o jogo. Porém, como quer não quer nada, Madri veio por fora e vai ser o centro das atenções do futebol no dia 9.

A partida está marcada para às 17h30 (Brasília) e a Conmebol vai arcar com custos para até 40 pessoas de cada equipe.

Diferentemente da primeira partida em La Bombonera, e do que seria na segunda, no Monumental, o jogo em Madri poderá ter torcedores de ambos os times.

Apesar dos muitos milhões que o Catar ofereceu para poder sediar a partida em Doha, o fato de Madrid ser a capital europeia que mais recebe voos sul-americanos pesou para a escolha.

Pedro Sánchez, primeiro-ministro da Espanha, comentou em suas redes sociais que o país está pronto para a partida.

“A Espanha está disposta a organizar a final da Copa Libertadores entre Boca Juniors e River Plata. A FCSE (conjunto de forcas de segurança espanholas) e os serviços envolvidos, com bastante experiência em eventos deste tipo, trabalha na implementação necessária para garantir a segurança do evento”, escreveu ele.

Relembre o ocorrido em Buenos Aires

A chegada do Boca Juniors, no último sábado, ao Monumental de Nuñez foi bastante conturbada. O ônibus da equipe foi recebido por pedradas dos torcedores do River, que chegaram a quebrar algumas janelas. A partida, incialmente marcada para às 18h (Brasília), teve o primeiro adiamento para uma hora mais tarde confirmado pela Conmebol.

A polícia precisou reagir e usou spray de pimenta para conter os torcedores mais exaltados. Porém, o forte cheiro teve consequências nos jogadores do Boca, que desceram do ônibus em direção ao vestiário tossindo bastante e com a camisa cobrindo o rosto para não inalarem mais deste gás tóxico.

Um médico da Conmebol, ao ver a chegada do Boca, afirmou: “Os jogadores estão feridos”. Abaixo, podemos ver a chegada de Carlos Tévez aos vestiários, com bastante dificuldade de respirar.

Mais tarde, Pablo Pérez, capitão do Boca, foi levado ao hospital com ferimentos no braço causados pelos destroços dos vidros quebrados e também com uma lesão no olho, que o tiraria da partida caso ela fosse realizada.

A Conmebol chegou a adiar o jogo para domingo, porém, mais uma vez, a partida não aconteceu. Somente nesta quinta-feira uma decisão foi tomada e apoiada pelas duas equipes.

Maradona pede que Conmebol dê título ao Boca