Com trio do Fla, Brasil busca vaga no Mundial de basquete de 2019

, Outros Esportes

Na próxima sexta-feira, a seleção brasileira inicia sua trajetória em busca de uma vaga no Mundial de 2019, na China. Para conquistar a classificação, Brasil vai precisar superar dois adversários complicados: República Dominicana e Canadá. Por isso, a equipe conta com jogadores experientes e que estão em destaque atualmente no cenário da modalidade. Por exemplo, Marquinhos e Anderson Varejão. O último, por sua vez, concedeu entrevista e projetou os próximos desafios. Além disso, o atleta comemorou mais uma convocação.  

“Fico feliz por representar a seleção brasileira em busca da classificação para o Mundial da China, no ano que vem. A gente sabe da importância desses próximos dois jogos: República Dominicana e Canadá. Em caso de vitória, nós praticamente asseguramos a classificação. Portanto, vamos com tudo para cima dos adversários e com confiança total”, garante Varejão.

Todo essa motivação se dá por motivos bem específicos. Primeiro, o apoio do torcedor. Jogando no Ginásio Wlamir Marques, em São Paulo, a seleção brasileira espera contar com casa cheia nos confrontos. Posteriormente, a união que se estabeleceu no atual grupo.

“Fizemos três treinos já. O grupo está bem motivado e estamos todos fechados. Aliás, sabemos da importância desses jogos em casa. Teremos a presença da torcida e isso é muito importante”, afirma Varejão.

Experiência rubro-negra

Gilvan de Souza

Marquinhos é uma das peças experientes da Seleção (Foto: Flamengo | Divulgação)

Outro fator muito importante é a experiência. Contando com Anderson Varejão, Marquinhos, Rafael Mineiro, a seleção brasileira espera ter tranquilidade para superar os desafios. Principalmente, por conta da vivência de momentos decisivos adquirida pelo trio ao longa carreira e no Flamengo. Além dos três jogadores, Bruno Nicolaci, preparador físico rubro-negro também integra a comissão técnica. De acordo com Anderson Varejão, essa experiência é muito para um grupo que está mesclando jovens com veteranos.

“Atualmente, o grupo tem uma mescla interessante de jogadores experientes e jovens. No entanto, é um processo natural de renovação. Por isso, eu, Marquinhos e outros que estão mais tempo na Seleção, temos que passar essa experiência aos mais jovens. Além disso, proporcionar essa união da juventude com os veteranos”, conclui o atleta.

SIGAM NOSSO SETORISTA NO TWITTER: @JORGEABELJOR  

Tapete vermelho para o melhor basquete das galáxias