Fluminense visita Osasco pela Superliga

, Outros Esportes

Nesta terça-feira (27), o Fluminense enfrenta o Osasco, pela quarta rodada da Superliga Feminina de Vôlei. Buscando por estabilidade no campeonato, o Tricolor quer a segunda vitória no campeonato. Já a equipe paulista quer encostar na liderança da Superliga. As duas equipes se enfrentam no Ginásio José Liberatti, em São Paulo.

Flu tenta controlar os nervos

Um dos times mais jovens da Superliga Feminina de Vôlei, o Fluminense presida lidar com a tensão para conseguir uma boa sequência no campeonato. Com duas vitórias em três jogos, o Tricolor perdeu os dois jogos que teve contra postulantes à uma vaga nos playoffs: Pinheiros e Barueri.

Agora, o Fluminense enfrenta mais um favorito ao título: o Osasco. Mas, para vencer a equipe paulista, o Tricolor precisa evitar momentos de desatenção. Logo depois de tomar a virada, na derrota por 3 sets 2 para o Barueri, na última sexta (23), a oposta Pri Daroit afirmou que o time precisa manter a tranquilidade nos momentos decisivios das partidas.

“Acho que faltou calma para decidir. Começamos ganhando os dois primeiros sets, mas acabamos cometendo alguns erros que nos custaram caro. São coisas que precisam mesmo ser trabalhadas. Acho que agora é hora de botar a cabeça no lugar e aprender a administrar o jogo. Afinal, temos que nos recuperar para enfrentar o Osasco”, disse Pri Daroit.

Osasco aposta na experiência

Em quarto lugar, com sete pontos, o Osasco vem de derrota na última rodada da Superliga. A equipe paulista caiu para o Pinheiros, por 3 sets a 2, em pleno José Liberatti. Agora, as meninas querem voltar a vencer para encostar no líder Praia Clube. Para isso, a equipe de Luizomar de Moura aposta no talento das experientes Camila Brait e Walewska.

Além disso, o Osasco tem em uma das suas grandes referências uma velha conhecida. A americana Destinee Hooker voltou à equipe paulista nesta temporada. Com a venda de Tandara para o vôlei chinês, a oposta de 31 anos assinou com o Osasco, após duas temporadas no Minas.