Trucado! Brasil vence Uruguai em jogo quente

Em seu penúltimo jogo na temporada, Brasil enfrentou o Uruguai, no Emirates Stadium, em Londres. Como era de se esperar, o clássico foi equilibrado e rendeu bons momentos em ambos os lados. No fim, a leve superioridade brasileira foi sacramentada em uma cobrança de pênalti de Neymar. Do lado uruguaio, Suarez teve grande atuação e só parou em Alisson. A partida marcou ainda a estreia de Allan, ex-Vasco, com a camisa da Seleção.

Início amarrado

Enfrentando problemas na defesa, Uruguai entrou em campo aguardando a postura dos brasileiros. Por isso, a Seleção Brasileira dominiu boa parte da partida. Ainda assim, a equipe não funcionou no coletivo. O Brasil pouco apresentou profundidade. O Firmino saiu da área para buscar o jogo, Neymar se embolou no meio de campo e Renato Augusto pouco foi efeitvo. Aliás, por incrível que pareça, individualmente os atletas não estiveram tão mal. Mas, coletivamente, ficou desorganizado.

As melhores jogadas sairam dos pés de Neymar e Cavani. Além de uma falta bem batida, o brasileiro aproveitou um bom cruzamento de Filipe Luís e balançou as redes. Porém, em posição de impedimento, o gol foi anulado. Do lado uruguaio, Suárez deu belo passe de primeira para Cavani. O atacante do PSG chegou batendo de primeira e obrigou Alisson a fazer grande defesa. Por fim, placar em branco até o intervalo.

Pressão uruguaia, alegria brasileira

O início do segundo tempo foi de pressão do Uruguai. Foram três chances seguidas, duas para fora e uma que exigiu habilidade de Alisson. A partir dos 15 minutos, Brasil voltou a equilibrar a partida. Além disso, Tite colocou em campo dois jogadores conhecidos do futebol carioca: Allan, ex-Vasco, e Richarlison, ex-Flu. Mas o fator de desequilíbrio veio nos pés de Neymar. Após pênalti marcado em Felipe Luis, o craque brasileiro abriu o placar, 1 a 0.

Logo após o gol, o jogo perdeu ritmo e os uruguaios pouco ameaçaram. Pelo contrário, a melhor chance foi do Brasil. Neymar recebeu na esquerda, fintou para o meio e meteu um bolão na segunda trave para Richarlison. O atacante chegou batendo de primeira e a bola passou perto da trave direita. Por fim, o pênalti foi determinante no resultado.