Brasil vence Argentina na bacia das almas

Assim como contra a Arábia Saudita, o Brasil venceu, mas não convenceu. No final da partida, o zagueiro Miranda marcou o tento brasileiro no Superclássico das Américas. Para o duelo contra os argentinos, Tite havia falado que a Seleção Brasileira entraria com força máxima. O único jogador que foi titular e não esteve na Copa do Mundo deste ano foi o volante Arthur, ex-Grêmio, atualmente no Barcelona. O treinador fez apenas duas substituições durante a partida. Por lesão, saiu Danilo e entrou Fabinho. E no ataque, por vontade do técnico, Gabriel Jesus deu lugar a Richarlison.

Miranda marcou o gol da vitória brasileira aos 47 minutos da etapa final (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Novamente o ponto alto brasileiro foi a solidez da defesa. O meio campo do Brasil continua sendo um problema, pois não consegue criar. Sendo assim, os homens de frente têm problemas para cumprirem o que deles é esperado, os gols. A Seleção Argentina, sem Messi e outras estrelas, foi uma equipe que viveu de lampejos. Por conta da diferença técnica, os argentinos abusaram das faltas e amarraram o jogo o quanto puderam.

A Seleção Brasileira volta a campo no dia 16 de novembro para outro clássico sul-americano, desta vez contra o Uruguai, em Londres, na Inglaterra. Existe a possibilidade da CBF marcar mais um amistoso ainda para este ano.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 1 X 0 ARGENTINA

Local: Estádio King Abdullah, em Jeddah (Arábia Saudita)
Data/Hora: 16 de outubro de 2018, às 15h (de Brasília)
Árbitro: Felix Brych (Alemanha)
Assistentes: Mark Borsch e Stefan Lupp
Cartões amarelos: Miranda, Neymar (Brasil); Angel Correa, Lo Celso, Paredes, Saravia (Argentina)
Cartões vermelhos:
Gols: Miranda, aos 47 minutos do segundo tempo

BRASIL: Alisson; Danilo (Fabinho), Marquinhos, Miranda e Filipe Luís; Casemiro, Arthur e Philippe Coutinho; Neymar, Gabriel Jesus (Richarlison) e Roberto Firmino. Técnico: Tite

ARGENTINA: Romero; Saravia, Otamendi, Pezzella e Tagliafico (Acuña); Battaglia, Paredes e Lo Celso (Salvio); Dybala (Lautaro Martínez), Angel Correa (Pereyra) e Icardi (Giovanni Simeone). Técnico: Lionel Scaloni.

Deixe uma resposta