Com novidades na zaga, Brasil enfrenta a Arábia Saudita

Nesta sexta-feira (12), feriado de Nossa Senhora de Aparecida, o Brasil enfrenta a Arábia Saudita, em amistoso, no estádio King Saud, em Riyad, capital saudita. No terceiro amistoso após a Copa do Mundo, a seleção brasileira vem com novidades no time titular. Destaque do Bordeaux, o zagueiro Pablo fará sua estreia com a camisa amarelinha. Do lado da Arábia Saudita, a equipe segue processo de evolução do futebol local, visando o Mundial do Catar, em 2022. Para isso, aposta no técnico Juan Antonio Pizzi, campeão da América com o Chile, em 2016.

Pablo estreia na seleção

Pablo em coletiva da CBF

Destaque do Campeonato Francês, zagueiro Pablo se emociona com primeira convocação (Foto: Pedro Martins | MoWa Press)

Seguindo o projeto de reformulação do elenco para a Copa do Mundo do Catar, o técnico Tite apostou em jogadores que estão se destacando no futebol europeu nesta temporada. Entre eles, está o zagueiro Pablo do Bordeaux. Um dos pontos fortes da terceira melhor do Campeonato Francês, o ex-corintiano foi chamado pela primeira vez para a seleção e será titular contra a Arábia Saudita. O jogador afirmou que estar na seleção é um sonho.

“A gente nunca desiste dos nossos sonhos, tem que sempre acreditar. Apesar de já ter 27 anos, eu sempre trabalhei, me dediquei, sempre com pensamentos positivos e querendo defender a Seleção. Meu pai me ligou chorando, achei que era brincadeira. Logo depois, minha esposa olhou na internet e viu que estava mesmo convocado. Ficou marcado na minha carreira, com certeza”, disse Pablo. Com o zagueiro, o Brasil vai a campo com Ederson; Fabinho, Marquinhos, Pablo e Alex Sandro; Casemiro, Fred e Renato Augusto; Phillipe Coutinho, Gabriel Jesus e Neymar.

Sauditas passam por renovação

Juan Antonio Pizzi comanda treino

Pizzi acredita que a Arábia Saudita seja capaz de competir com o Brasil (Foto: Khaled Elfiqi | EPA)

Já a Arábia Saudita vive um projeto de reformulação dentro e fora das quatro linhas. Desde que se tornou príncipe do país, Mohammad bin Salman se comprometeu com o projeto de tornar os sauditas uma potência econômica e esportiva. Desde então, o investimento no futebol aumentou consideravelmente.

Com isso, técnicos como o português Jorge Jesus, o brasileiro Fábio Carille e o argentino Paulo Guede migraram para os clubes árabes. Além disso, o alto investimento saudita trouxe o campeão da última Copa América, o hispano-argentino Juan Antonio Pizzi, para treinar a seleção nacional. Logo na Copa do Mundo deste ano, o treinador quebrou a escrita de 24 anos sem ganhar um jogo de Mundial. Mesmo que esteja empolgado por enfrentar o Brasil, Pizzi acredita que a Arábia Saudita possa competir de igual para igual.

“Para nós é uma experiência muito boa. Sabemos da diferença histórica entre o futebol brasileiro e o da Arábia Saudita, mas também é um aprendizado. Uma oportunidade para nos testarmos contra os melhores do mundo. Já vimos a convocação da seleção brasileira para esse jogo. E, para nós, é um privilégio poder enfrentar jogadores desse nível. Vamos aproveitar. Vamos nos preparar bem, competir e demonstrar quais são nossas fortalezas”, afirmou Pizzi.

Deixe uma resposta