Gonçalves analisa renovação da Seleção Brasileira

Inserido entre os favoritos na Copa de 2018, Brasil acabou sendo eliminado nas quartas. Com todo peso da amarelinha e com as grandes atuações antes do torneio, a expectativa pelo hexa bateu no teto. Porém, a derrota para a Bélgica frustrou a esperança do país inteiro. Em conversa com Esporte 24 horas, Marcelo Gonçalves, zagueiro da Seleção na Copa de 98, analisou a performance da equipe e apontou um dos motivos da eliminação.

“Por toda história, Brasil entra em qualquer competição entre as favoritas a conquistar o título. Com isso, a torcida acaba ficando com uma esperança muito grande. Na minha visão, a participação da Seleção na Copa do Mundo deixou a desejar. Acredito que criamos uma expectativa exagerada por conta da performance na Eliminatórias e isso foi o principal fator da queda. Tem situações que devemos reconhecer o potencial dos nossos adversários. Infelizmente, a gente foi eliminado antes do que gostaríamos. Agora é olhar para frente e trabalhar bem o novo ciclo”,  aponta Gonçalves.

Passada a Copa do Mundo, o foco de Tite agora é na montagem de um novo grupo. Buscando aumentar suas opções, o treinador brasileiro chamou 13 novos jogadores para os amistosos contra Estados Unidos e El Salvador. Para Gonçalves a iniciativa foi acertada e confia na capacidade do comandante na construção de uma equipe competitiva e vitoriosa.

“Todo novo ciclo começa com experiências, convocação de novos jogadores e testes, é um processo natural. O Tite está muito atento a todos os jogos no Brasil, aos atletas que atuam nos clubes brasileiros e no futebol internacional. Com toda a capacidade que ele possui, acredito que vai voltar a formar um grande time, bastante competitivo e que possa nos dar muitas alegrias nos próximos quatro anos”, torce o ex-zagueiro da Seleção.

Gonçalves chegou à Seleção através de Zagallo

Pela Seleção, Gonçalves conquistou a Copa América e a Copa das Confederações (Foto: Divulgação | CBF)

Multicampeão e com passagem no exterior, Marcelo Gonçalves chegou à seleção brasileira com uma larga bagagem. Diferente de Lucas Paquetá, Everton, Andreas Pereira e outros, que chegaram jovens e com pouca rodagem na carreira. O ex-jogador conta que a experiência ajuda ao entrar em campo pela primeira pelo seu país, por isso a importância do suporte dos jogadores mais cascudos aos recém-chegados.

“A experiência ajuda muito ao chegar na seleção brasileira pela primeira vez. O jogador com maior rodagem consegue um rendimento mais regular do que os jovens. Mas este é o momento para mesclar jogadores experientes e atletas novos. Dentro desse processo os mais “cascudos” servem justamente como um ponto de tranquilidade e de auxílio na adaptação aos que estão chegando agora”, compartilha.

Neymar

Outro ponto muito comentado da Copa do Mundo foi Neymar. Extremamente criticado pelo seu comportamento dentro de campo, o jogador viu sua imagem sair completamente arranhada da Rússia. Com tamanha experiência no esporte, Marcelo Gonçalves aconselha o atacante a ser mais firme na hora de receber as faltas e focar exclusivamente no seu futebol.

“Na minha opinião, as críticas ao Neymar foram acertadas. Principalmente, por seu temperamento dentro do campo. Ele tem que focar em jogar bola e ser mais firme na hora de receber as faltas. Precisa melhorar o comportamento, pois na Copa do Mundo sua imagem ficou arranhada. Mas ainda assim, ele continua sendo o jogador de maior expressão do futebol brasileiro e a cobrança em cima dele é muito grande. Que ele possa continuar tendo uma performance técnica necessária para converter essa história”, sugere.

Tite

Com um desempenho impecável nos jogos antes da Copa, Tite chegou idolatrado na Rússia. Utilizando um discurso afinado e convincente, o treinador foi pouquíssimo questionado ao longo da preparação da seleção. Porém, a sua insistência em manter na equipe jogadores que não vinham tendo um bom rendimento causou certo desconforto, após a eliminação. Apesar dos equívocos, Gonçalves observa o trabalho do comandante de forma positiva.

“Todo treinador tem erros e acertos durante um campeonato, ele teve muitos acertos e alguns equívocos, que deve procurar corrigir nesse novo ciclo. Tite continua sendo o melhor técnico do futebol brasileiro. Eu o acho um profissional extremamente capacitado e vivenciou sua primeira experiência de Copa do Mundo. Com certeza, essa competição serviu de muito aprendizado para ele. Agora é continuar o grande trabalho”, analisa.

Thiago Silva x Marquinhos

No comando da Seleção, Tite acumula 26 jogos sendo 12 com Marquinhos de titular na zaga. Porém, na reta final da preparação para Copa ele optou por Thiago Silva. O fato gerou um constrangimento entre os companheiros, assumido por Thiago. Quando questionado sobre a ação do treinador, Marcelo Gonçalves afirma que o comandante fez a melhor escolha e que Marquinhos será um dos principais jogadores na posição no Qatar, em 2022.

“A escolha do Tite pelo Thiago Silva foi acertada. Ele estava maior preparado para jogar a Copa do Mundo, tanto que foi um dos melhores da competição. Na minha opinião, foi o jogador mais regular em todos os jogos do Brasil. O Marquinhos é um bom zagueiro, jovem e precisa amadurecer um pouco. A presença dele na Rússia serviu de preparação para a próxima. Mantendo o alto nível, ele terá a titularidade no Qatar, em 2022”, garante.

Sonho alvinegro de Gonçalves

Gonçalves comemora ao lado de Djair o título Carioca de 1997

Revelado pelo Flamengo, Gonçalves fez história no Botafogo (Foto: Divulgação | Botafogo)



Revelado pelo Flamengo, Marcelo Gonçalves construiu uma carreira sólida e com muitas conquistas. Porém, foi no Botafogo que marcou seu nome. Campeão Brasileiro e do Rio-São Paulo, o zagueiro fez parte de um dos elencos mais vitoriosos da história alvinegra. Atualmente, morando nos Estados Unidos, Gonçalves toca seu projetos pessoais e idealiza sua volta ao clube no cargo de dirigente.

“O sonho existe. Ficaria muito feliz em um dia poder retornar ao Botafogo e, principalmente, exercendo uma função que eu me preparei bastante. Mas só o tempo dirá. A gente continua trabalhando e ganhando mais experiência. Quem sabe no futuro eu consiga assumir o cargo e trabalhar na busca por sucesso e novas conquistas para o clube”, almeja o ex-jogador.

Brasil terá seis novidades para enfrentar El Salvador

No Comment

Deixe uma resposta