Clubes terão de se responsabilizar por convocáveis na semi da Copa do Brasil, diz CBF

Além de acertar um voo fretado para poderem contar com Cuellar, Lucas Paquetá e Dedé na primeira partida da semifinal da Copa do Brasil, Flamengo e Cruzeiro terão que assinar um termo de responsabilidade para colocar o trio em campo.

A medida se deve ao tempo mínimo de descanso de 66 horas (estipulado artigo 25 do Regulamento Geral de Competições da CBF 2018) do amistoso contra El Salvador, na terça-feira, para a partida do Flamengo contra o Corinthians e do Cruzeiro contra o Palmeiras, pelas semifinais da Copa do Brasil, marcada para quarta-feira.

“Não tem como liberar mais cedo como os clubes pediram. Quando o jogo acabar, eles (Dedé e Paquetá) estarão liberados como todos os outros convocados. A obrigação da CBF é devolver os jogadores. Mas como os clubes querem mais agilidade, eles organizam isso”, frisou o coordenador de seleções da CBF, Edu Gaspar.

Com isso, Dedé poderá enfrentar o Palmeiras, em São Paulo, enquanto Cuéllar e Paquetá chegarão a tempo de encarar o Corinthians, no Maracanã.

Segundo o planejamento, o avião buscará, primeiro, Cuellar, em Nova Jersey, local onde a Colômbia fará amistoso com a Argentina. Depois buscará Dedé e Paquetá, que estarão em Washington para o amistoso da seleção brasileira com El Salvador.

Posição do Cruzeiro

Dedé durante treino da Seleção Brasileira nos Estados Unidos

Dedé não defendia o Brasil desde 2013 (Foto: Lucas Figueiredo | CBF)

 

Segundo o gerente de futebol do Cruzeiro, Itair Machado, o valor do fretamento do avião será dividido entre os clubes. De acordo com ele, o investimento valerá à pena.

“Como são três jogadores, um do Cruzeiro e dois do Flamengo, o valor vai ser dividido por três. Como o Flamengo tem um terceiro interessado no meio, nós não vamos divulgar os valores por questão de ética. Mas a gente entendeu que será um bom preço para dentro do que vai ser feito”, comentou o dirigente.